Logo da Sofist

+55 (19) 3291-5321       |      negocios@sofist.com.br

Icon da Sofist

Sofist na Mídia

“Aqui é um lugar que respira tecnologia”. É assim que o empresário Bruno Abreu define o Polo Tecnológico de Campinas, no interior paulista. Há 10 anos, junto com o sócio, ele fundou na região – que é conhecida com o Vale do Silício brasileiro – a Sofist, empresa especializada em redução e prevenção de problemas em produtos digitais. O negócio cresceu quase 60% em faturamento no último ano e para 2018 a estimativa é nova alta de pelo menos 55%. 

O que você faria se alguém dissesse que seu e-commerce não está aproveitando todas as oportunidades, e que sua taxa de conversão poderia ser maior? Imagino que num primeiro momento você buscasse justificativas como: “não há como melhorar”, “faltam recursos financeiros”, “a média de conversão nos e-commerces no Brasil é assim mesmo”, etc. Quer um conselho? Não vá por esse caminho.

A Sofist, empresa que desenvolve soluções para testes de sites e apps, começa a trabalhar com o desenvolvimento de uma farm (fazenda, na tradução em português) de dispositivos. Atrelado a um software da companhia, esta fazenda de celulares simula o comportamento de um app (ou webapp) em diversos dispositivos, como smartphones a tablets. 

Prestes a completar uma década, a Sofist nasceu nos corredores da Unicamp na esteira de problemas em software e aplicações. A empresa, sediada em Campinas (SP), atua na redução e prevenção de falhas ou erros em produtos digitais por meio de testes profissionais de soluções, mas em um conceito muito diferente da tradicional fábrica de software. “Nossa proposta é evitar prejuízos por parte das empresas. Um e-commerce, por exemplo, se tiver problemas na conversão perde milhões de reais”, destaca Bruno Abreu, fundador e CEO da Sofist.

Falar de Black Friday com quase quatro meses de antecedência pode soar estranho a alguns ouvidos. Acontece que “antecipação” deveria ser uma palavra de lei para as lojas virtuais nesse período do ano. Sim, a prevenção pode evitar eventuais prejuízos e estresses. E precisa começar agora. Há quase uma década, a BF é motivo de grandes problemas e polêmicas no Brasil. Desde 2011, enfrentamos (como consumidores) dificuldades como instabilidade, atrasos na entrega, cancelamento de pedidos e até propaganda enganosa. 

A Sofist - empresa especializada em redução e prevenção de problemas em produtos digitais, por meio de testes profissionais de software - está em busca de profissionais de tecnologia para São Paulo (SP) e Campinas (SP). Com oportunidades focadas em Quality Assurance, tanto para aplicações mobile ou para sistemas web, a companhia busca candidatos com capacidade de resolver problemas e que estejam constantemente buscando maneiras de aprimorar o resultado do seu trabalho.

Não é preciso dizer que melhorar o desempenho dos negócios é uma atividade mandatória para os executivos de qualquer marca. E quando nos referimos à performance, falamos de métricas como satisfação dos clientes, retenção, memória de marca, vendas, etc. No caminho do sucesso, sabemos que não há uma fórmula ou solução mágica: é preciso inovar, mas inovar certo! No caso dos e-commerces, uma das inovações pode ser o plugin.

Apps e sites móveis são cada vez mais importantes no ecossistema digital brasileiro e vêm tomando espaço dos sites tradicionais para web. É possível notar essa tendência quando analisados os dados operacionais da Sofist, uma empresa de Campinas especializada em realizar testes em produtos digitais para identificar eventuais problemas de usabilidade ou de configuração que atrapalham a experiência do usuário. No ano passado, 70% dos testes realizados pela empresa foram em produtos móveis, contra 30% em produtos web. Três anos atrás essa proporção era inversa, relata Harry Ballas, um dos sócios da Sofist.

Desistir de uma compra ao se deparar com uma fila enorme é normal no varejo. Clientes desistem de esperar quando a fila assusta, mas este problema não é exclusivo das lojas físicas. O cenário descrito também acontece com frequência no ambiente virtual, inclusive em datas sazonais como a Black Friday — que pode deixar os sites instáveis, com carregamento lento.

A Black Friday deste ano também revelou uma fragilidade dos grandes e-commerces: infraestrutura tecnológica. Segundo levantamento da empresa de testes de software One Day Testing, que monitorou 43 dos maiores e-commerces durante a Black Friday, 83,7% apresentaram instabilidade em algum momento e 32% dos sites ficaram, juntos, 4 horas e 16 minutos fora do ar, resultando em perda de faturamento de pelo menos R$ 6,4 milhões durante as primeiras quatro horas do evento.

Bem, como nem tudo na vida é só alegria e os erros servem também para melhorar, os problemas estruturais atrapalharam muitas transações. A One Day Testing, especialista em testes de produtos digitais, monitorou 43 lojas virtuais com alto volume de acessos e registrou diferentes tipos de erros encontrados pelos consumidores, como tempo de carregamento e quantidade de dados transferidos.

A startup One Day Testing, com sede em Campinas e fundada por ex-alunos da Unicamp, foi a grande vencedora da etapa da América do Sul do Software Testing World Cup, campeonato mundial de teste de software realizado no mês de março. O resultado foi divulgado nesta quarta-feira (4). Competindo com outras 31 equipes, deixou para trás outras 25 brasileiras, quatro uruguaias e três argentinas. O grupo encarou o desafio de encontrar falhas e propor melhorias para um aplicativo, de acordo com as necessidades do dono do produto, tudo isso em apenas 4 horas.

Contato para imprensa

Larissa Straci

(11) 95882-5852

lstraci@brsa.com.br 

Todo domingo é a mesma história. A internet vai à loucura enquanto assiste “Game of Thrones” e comenta ferozmente sobre o episódio nas redes sociais. Uma hora depois, começam as críticas: o público vai procurar o serviço de streaming HBO Go e começa a receber as mensagens de que não é possível reproduzir o conteúdo.

Nos últimos domingos, milhares de fãs de Game of Thrones ligaram suas televisões, celulares, tablets e computadores para assistir aos episódios da oitava e última temporada da série. Os usuários do canal a cabo conseguiram assistir aos episódios normalmente, mas, um grande número de usuários do serviço HBO Go, plataforma de streaming da marca, não conseguiu assisti-los.

A Black Friday de 2018 bateu recordes de faturamento e vendas no Brasil. Em cinco dias de descontos em boa parte dos varejistas online os brasileiros gastam mais de R$3,4 bilhões, quase 20% mais que no mesmo período do ano passado, segundo dados da ClearSale, empresa que monitora fraudes digitais. No comércio eletrônico, a data já rivaliza com o Natal como período mais aquecido do ano. 

A Black Friday de 2018 foi um sucesso, especialmente no Brasil, onde a data transformou o varejo brasileiro. Lojas físicas e virtuais tiveram resultados surpreendentes, porém, este segundo grupo poderia ter ido ainda melhor, não fossem problemas técnicos inerentes a esta modalidade de comércio. Segundo estudo da Sofist, empresa que monitora tráfego virtual e especialista em prevenção de problemas digitais, os e-commerces brasileiros perderam o equivalente a R$ 23,9 milhões em vendas por falhas técnicas.

Outro dia, enquanto abastecia o carro, o frentista me sugeriu baixar o aplicativo da bandeira do posto de gasolina para obter desconto no valor a pagar. Era um domingo, eu estava tranquilo e achei que valeria tentar. Mas depois de dez minutos esperando o app funcionar, paguei a conta sem o desconto e fui embora irritado.
Horas depois, já em casa, usei o app de uma rede de farmácias que promete entregar seu remédio em até 4 horas. Não queria sair e resolvi aproveitar essa facilidade proporcionada pelas iniciativas digitais das empresas.